“Tudo está bem conectado, nossa vida e a natureza, se entrelaçam numa rede que não pode se romper pois o elo é o amor”.

Eis o refrão que constantemente ecoa nos ouvidos e corações de todos nós, amazônidas, filhas e filhos desta exuberante Amazônia.

Estamos vivendo um momento muito significativo em nossa Igreja. Momento este que me faz repetir sempre a seguinte frase: eis o tempo de Deus para nós, eis um novo Kairós! Digo isto porque nunca havia experimentado algo muito entusiasmante que me fizesse sentir tão otimista e esperançosa em relação a caminhada da Igreja em nossa realidade de Brasil e o Sínodo está provocando isso.  O empenho em acompanhar algumas das iniciativas que foram realizadas foi de grande aprendizado para mim, primeiro porque me fez tomar consciência dos inúmeros desafios existentes na nossa realidade e outro porque me leva assumir com coragem e empenho a missão da Igreja presente aqui na Amazônia.

“Novos Caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”

Uma das experiências que me marcou bastante foram as rodas de escuta que aconteceram ao longo destes dois anos, nas comunidades. Momentos ricos de experiências, onde se falava das dificuldades encontradas nos vários âmbitos: social, político e religioso e sobretudo o que diz respeito a relação homem-natureza, porém ao mesmo tempo se percebia que não havia somente dificuldades, mas também as conquistas alcançadas, fruto das incansáveis lutas de muita gente. Nas rodas de escuta, uma das questões pertinentes era “Que Igreja queremos”? No decorrer das conversas surgiam sugestões sobre os caminhos que a Igreja deve trilhar para ser uma Igreja com rosto amazônico.

O processo em preparação ao Sínodo, esteve presente praticamente em todas as atividades pastorais, com o objetivo de chamar a atenção das pessoas para os problemas que a Amazônia enfrenta, com relação ao desmatamento sem controle, com a morte de rios e igarapés, com a invasão das terras indígenas por conta da irresponsabilidade do governo, do desaparecimento das lideranças das comunidades indígenas e outros, e além de chamar atenção, fosse de ajuda para que as pessoas tomassem consciência e pudessem abraçar a causa. Muito me alegro em ver que há tantas pessoas empenhadas em conhecer melhor o chão onde se vive, comprometendo-se com a defesa da vida e a salvaguarda da criação.

Se de um lado há aqueles que defendem uma igreja escondida dentro dos próprios muros, que com certeza não é a Igreja de Cristo, porque se acomoda diante da realidade gritante, se preocupando somente em criticar e reprovar o Papa  em suas decisões, por outro lado, está um grande número de pessoas comprometidas com a proposta do Evangelho e esta, com certeza, é a Igreja de Cristo, que se preocupa em lutar por mundo diferente, onde a vida seja respeitada em todas as suas dimensões, onde Cristo seja conhecido e amado por todos. É por isso que apoiamos o Sínodo e o Papa, e somos conscientes de que o sínodo não irá resolver todos os problemas mas acreditamos que dele sairá luzes e gotas de esperança que irão fazer a diferença.

Para que a alegria fosse completa, o nosso amado Papa Francisco, nos dá mais uma responsabilidade.  Por ocasião do centenário da promulgação da Carta Apostólica Maximum Illud  o Papa proclamou  o Mês Missionário Extraordinário, com o tema: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”, este apelo nos convoca a reavivar o ardor e a paixão missionária presentes em cada uma de nós dando destaque especial à missão ad gentes.

Para melhor viver o MME (mês extraordinário missionário) aqui na nossa realidade de Manaus, serão realizadas várias atividades de cunho missionário nas paróquias e áreas missionárias, além das atividades, irá acontecer também a abertura oficial do MME, no dia 1º de outubro, nas três Regiões Episcopais da Arquidiocese, com a Celebração Eucarística, onde participarão todos os setores e suas respectivas áreas missionárias. Um outro momento marcante é a caminhada missionária, que já é tradição aqui, que irá acontecer no dia 22 de outubro, Dia mundial das Missões.

Como organismo, as MdI das comunidades de Manaus, realizaram no mês de agosto a Expo Missio-vocacional, na comunidade Santo Antônio, pertencente a paroquia de Nossa Senhora de Nazaré, com o objetivo de animar missionariamente as realidades onde estamos inseridas, essa iniciativa foi muito bem acolhida pelo povo.

Esperamos que estas duas importantes iniciativas tragam nova esperança para todos e façam crescer a paixão para Deus e para a humanidade, com uma especial atenção à criação.

Ir. Rosiene Gomes de Freitas – Província Brasil Norte

0 Comentários

Envie uma Resposta

©2020 Missionárias Da Imacolada PIME - credits: Mediaera Srl

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?