Solenidade de Pentecostes 2020 

Queridas Irmãs,

A solenidade de Pentecostes é uma festa particularmente esperada por nós porque a distinguimos por sua dimensão missionária e porque, na tradição do nosso Instituto, é o dia em que algumas de nós recebem a destinação para a missão.

Em Pentecostes as portas do Cenáculo se abrem; o medo que mantinha os discípulos fechados em casa, agora se transforma em testemunho corajoso.

Após o bloqueio, os Onze poderiam simplesmente retomar a vida onde haviam parado naquela noite, após os dias chocantes da paixão, morte e ressurreição de seu Mestre.

Algo, no entanto, acontece pela primeira vez em suas vidas: uma experiência sem precedentes do Espírito os torna homens novos, livres e corajosos; torna-os missionários! Jesus havia anunciado a eles: “Quando chegar o Consolador, que eu lhes enviarei do Pai, o espírito da verdade que procede do Pai, ele dará testemunho de mim e vocês também serão minhas testemunhas” (Jo15,26-27). Em Pentecostes a Palavra começa, assim, sua corrida e, a partir de Jerusalém, é anunciada ao longo dos séculos aos homens e mulheres, em qualquer lugar e situação, para que possam vivenciar o encontro pessoal com Jesus Cristo.

Nós também hoje, depois da dura provação de uma pandemia da qual ainda não vemos o fim, poderíamos ser simplesmente apressadas para voltar ao normal, retomando tudo como antes. Mais sabiamente, porém, temos a oportunidade de viver este momento histórico buscando juntas intuir os convites do Senhor, a “boa notícia” que Ele tem reservado para nós e para a humanidade, enquanto passamos por essa experiência dolorosa.

Essa calamidade nos fez perceber tantas falsas seguranças, das nossas limitações em definir tempos e regras, da necessidade de descobrir o que é realmente prioritário e humanizador… Este, através de um ritmo de vida mais lento, é certamente um bom momento para compreender novas percepções, para descobrir novos apelos do Senhor.

Na lenta e gradual retomada que todos esperamos, acredito que todas nós temos a necessidade de espaços de confronto, nos quais dar consistência aos sentimentos e perguntas que permaneceram não expressos, buscando em conjunto as respostas. Seria bom neste “histórico e único Pentecostes” compartilhar a resposta a uma pergunta simples, mas profunda: “Qual é a experiência do Espírito que tivemos neste tempo?”

Se estivermos abertas a ouvir atenta e sinceramente umas às outras, veremos um verdadeiro milagre que, como no Pentecostes de Jerusalém, não consistirá na multiplicidade de línguas, mas na compreensão comum e profunda de uma palavra, de uma intuição, de uma experiência compartilhada que é o dom do Espírito para continuar a viver a graça do carisma nos diferentes contextos humanos, culturais e religiosos em que estamos presentes.

É por isso que pedimos ao Senhor o dom do Espírito Santo, o dom da sabedoria que nos ensina a olhar com os olhos de Deus, a sentir com o coração de Deus, a falar com as palavras de Deus.

Com gratidão, carinho e humildade, permaneço unida a todas vocês, juntamente com Maria e os apóstolos, reunidos no Cenáculo, implorando o dom do Espírito, especialmente sobre as irmãs hoje destinadas:

Ir. Teena D’Souza da província Vijayawada à província Camarões
Ir. Jackuline Arul Raj da província Vijayawada à província Papua Nova Guiné
Ir. Shuly Pascalina Rozario da província Bangladesh à província Brasil Norte
Ir. Suchitra Perpetua Purification da província Bangladesh à província Papua Nova Guiné
Ir. Simona Puliga da província Camarões às comunidades da Argélia
Ir. Leah Baituma da província Papua Nova Guiné à delegação Guinea Bissau

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

©2020 Missionárias Da Imacolada PIME - credits: Mediaera Srl

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?