Missão é servir na caridade

Das palavras do Papa Francisco: “Peço-lhes de servir Jesus crucificado em cada pessoa que é colocada às margens, por qualquer motivo, de ver o Senhor em cada pessoa excluída, que tenha fome, sede, que esteja nu, de descobrir Deus em quem está preso, doente, desempregado, perseguido, em cada leproso – tanto no corpo como na alma – que sofre qualquer tipo de discriminação. Nós não encontraremos o Senhor enquanto não aceitarmos completamente as pessoas excluídas! “.

Em 1962, quando a Madre Geral Clara Bellotti começou a Fundação do Centro para os Hansenianos em Vegavaram – Índia, a Congregação das Missionárias da Imaculada entrou em uma das mais difíceis e complexas formas de evangelização. Naquela época, as regiões do Leste e Oeste de Godavari estavam cheias de hansenianos que vagavam pelas ruas procurando ajuda e refúgio em todos os cantos.

O senhor serviu-se dos missionários e missionárias para que chegasse até eles o tratamento através dos Centros para Hansenianos Frei Damião, Santa Maria, Memorial Pe. Frascogna, Casa Pe. Paulo Manna, Escola Santa Maria e vários outros centros de acolhida e serviços em benefício dos hansenianos, dos pacientes com HIV ou AIDS, tuberculose e outras pessoas marginalizadas.

Ao mesmo tempo, Deus estava preparando uma jovem estudante em Trivandrum para que ela escolhesse o serviço para os hansenianos. Esta jovem é a Ir. Daniela Kuzhiadyil. Em1949 sua professora lhe perguntou o que ela queria ser no futuro. Ela refletiu e disse: “Poderia me tornar médica, enfermeira, mas há muitas pessoas que gostariam de exercer estas profissões.”

Enquanto ela estava pensando, a figura de um hanseniano apareceu-lhe por um instante em sua mente. Até então ela nunca tinha visto um hanseniano, mas lendo os Evangelhos tinha entendido que hanseniano era uma pessoa cheia de feridas e com os membros mutilados. A imagem que ela tinha visto voltou à sua mente. Sendo uma moça de fé, compreendeu que o Espírito Santo estava apontando uma direção para a sua vida e neste momento começou a pensar que ela poderia gastar sua vida para este serviço. Ela guardou para si este pensamento, mas estava decidida a dedicar a própria vida para aliviar o sofrimento dos hansenianos.

Ela continuou os seus estudos e ao concluir foi contratada para trabalhar em uma escola e ensinar Matemática. Um dia em 1962, inesperadamente, viu uma revista com os endereços de dois missionários, que trabalhavam em Andhra Pradesh e exortavam os jovens a unirem-se a eles no trabalho da missão em Andhra Pradesh. Ir. Daniela sentiu-se inspirada, escreveu ao Padre Thomas Ettachkahunnel que trabalhava em Avanigada e começou a enviar-lhe pequenas doações para as missões.

Pouco a pouco foi revelando a ele o seu desejo de entrar em uma Congregação que trabalhasse com os hansenianos. Pe. Thomas respondeu-lhe por escrito que em Bhimavaram havia uma Congregação que tinha chegado lá em 1962 e havia fundado um centro para pacientes de hanseníase e que, portanto, ela poderia entrar nesta Congregação. Que coincidência! Deus tinha inspirado Me. Clara Bellotti de abrir o centro para os leprosos e ao mesmo tempo tinha preparado uma pessoa para trabalhar neste centro. Isso realmente foi uma confirmação de que o trabalho para aliviar o sofrimento dos leprosos era um trabalho de evangelização para as Missionárias da Imaculada.

Ir. Daniela entrou na Congregação em Bhimavaram em 28 de junho de 1963 e iniciou o noviciado em 6 de janeiro de 1964. Me. Clara a mandou para a Itália no dia 1º de agosto de 1965 para fazer o Curso de Leprologia internacional, um curso realizado na Espanha. Ela fez a sua primeira profissão em 12 de setembro de 1965 e mais tarde ingressou no Instituto Regina Mundi, em Roma, para estudar Teologia durante um ano.

Em 1968 ela retornou para a Índia e começou a trabalhar no novo Centro para Hansenianos em Vegavaram. Ela continuou o seu serviço para os pacientes de hanseníase, sem interrupção, durante 25 anos. Em seguida, em 12 de outubro de 1993, foi transferida para Srungavruksham, juntando-se ao grupo das outras duas heroínas do Centro de reabilitação Memorial Pe. Frascogna: Ir. Paola Terzaghi e Ir. Teophine – que ofereceram a vida ao serviço dos leprosos até a morte. Com estes outros 25 anos de serviço continuo Ir. Daniela completou 50 anos de serviço – Jubileu de ouro – de serviço aos hansenianos. Agora com a idade de 87 anos, Ir. Daniela ainda está ativa e sorri agradecendo a Deus pelo seu amor eterno e pela sua fidelidade.

No Evangelho de Marcos capítulo 1,40 Jesus deixa Cafarnaum para anunciar a boa notícia para as famílias mais isoladas em áreas remotas do país. Lá encontra os hansenianos. Mas através da ação de Jesus, os hansenianos são curados. O evangelho não permanece só uma palavra escrita, mas realiza mudanças. Desde então os hansenianos não serão mais considerados como pessoas que devem ser excluídas, graça esta que continua ainda hoje através da vida da Ir. Daniela e de muitas outras vidas doadas pelos missionários e missionárias.

Ir. Benigna Menezes – Vijayawada

0 Comentários

Envie uma Resposta

©2020 Missionárias Da Imacolada PIME - credits: Mediaera Srl

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?